< Voltar

7 práticas e dicas essenciais em logística

Trabalhar com logística exige cuidados especiais. Uma gestão mal efetuada nesta área só vai gerar desperdícios e prejuízos para a empresa e provavelmente não conseguirá satisfazer ao cliente. O ideal é gastar menos e ao mesmo tempo oferecer serviços e produtos de boa qualidade para o consumidor. Veja abaixo 7 dicas para otimizar a logística do seu negócio.

1. Aprimore as previsões de demanda para diminuir desperdícios e faltas

Para melhorar a gestão logística, convém fazer previsões tanto das demandas externas quanto internas. Uma das melhores maneiras de fazer essa análise é consultando o histórico de vendas da empresa para constatar em quais meses a demanda foi maior.

Assim, é possível prever as demandas do mês de novembro de 2017 ao avaliar as vendas efetuadas nesse mesmo período no ano anterior, mas é importante que essa avaliação considere o potencial de crescimento que a empresa apresenta ao longo de sua jornada.

Além do histórico de vendas e do potencial da empresa, para realizar projeções mais realistas é importante analisar as variações do mercado, as possibilidades de imprevistos e a instabilidade financeira que afeta o país.

2. Integre as equipes na cadeia de suprimentos

Outra das dicas de logística que são fundamentais para otimizar a gestão se resume na palavra “integração”. É fundamental integrar as projeções de vendas realizadas no planejamento estratégico da empresa a outros processos, como o planejamento das operações e da produção. Também é recomendável integrar o controle financeiro aos gastos de orçamento, ao fluxo de caixa e aos investimentos.

O marketing é outro setor que deve participar dessa integração. O gestor de logística pode perfeitamente acompanhar as campanhas de marketing e visualizar quais delas realmente apresentaram o retorno esperado. Para uma boa avaliação, convém levar em conta critérios como a situação do mercado, o período em que a campanha foi criada, a confecção e distribuição de produtos — toda a análise deve ser feita tomando como referência a cadeia de suprimentos.

Alinhar as vendas ao planejamento operacional oferece um ponto de equilíbrio entre a procura do cliente e o potencial produtivo da empresa.

3. Realize a logística reversa

A logística reversa é um grande diferencial para empresas que buscam melhorar seus processos logísticos. Trata-se de implantar um sistema de coleta e destinação dos produtos com defeitos, quebrados ou com ciclo de vida encerrado. Realiza-se, portanto, um caminho inverso, que começa no consumidor final e termina com a recuperação do produto ou sua reciclagem para dar vida a um novo produto (ou, ainda, para o seu descarte apropriado).

A logística reversa é, atualmente, a ferramenta mais importante que a economia sustentável tem utilizado para tornar os processos industriais e comerciais mais seguros para o meio ambiente. Ao aplicá-la, a empresa tem maiores possibilidades de crescimento e desenvolve uma imagem muito melhor perante a sociedade.

O consumidor não tem custo adicional nenhum para a devolução ou troca da mercadoria. A empresa, por sua vez, pode efetuar suas operações ciente de que não está causando impacto ambiental além do que é permitido.

4. Utilize softwares de logística e outras tecnologias

O uso de softwares destaca-se entre as outras dicas de logística porque representa a tecnologia a favor do crescimento econômico, contribuindo para o desenvolvimento de processos mais enxutos, mais rápidos e de melhor qualidade. Com a utilização de sistemas automatizados, é possível identificar e eliminar falhas e gargalos, bem como gerenciar riscos com maior precisão.

O ideal é contar com tecnologia destinada especificamente para a logística, ou seja, que ajude a controlar a armazenagem, os pedidos, o transporte dos produtos, valorizando uma entrega rápida e segura ao cliente. Uma vantagem é que já existem softwares na nuvem que não requerem instalação e podem ser acessados de qualquer dispositivo com acesso à internet e de qualquer local. São mais econômicos e geralmente mais seguros.

Além dos softwares, vale a pena utilizar tecnologias como GPS, radiofrequência, códigos de barras, máquinas e equipamentos mais modernos e eficientes. Essas tecnologias permitem uma gestão mais apurada do armazenamento, estoques e transporte.

5. Monitore o desempenho dos fornecedores

Os fornecedores são parceiros da empresa e é importante que eles apresentem um bom desempenho a fim de evitar problemas com a entrega dos insumos comprados e outras coisas. Falhas no fornecimento, além de representarem ônus para a empresa, podem interferir no bom relacionamento com os clientes.

Por esse motivo, convém acompanhar cuidadosamente o desempenho dos fornecedores para confirmar sua capacidade produtiva, a eficiência de seus processos, a qualidade dos produtos/serviços ofertados etc. Se o fornecimento é precário ou chega mesmo a faltar, a empresa tem toda a sua logística impactada de forma negativa. Em alguns casos, torna-se mesmo necessário substituir um ou mais fornecedores para otimizar a gestão logística.

6. Terceirize os serviços de logística

Os serviços logísticos podem ser terceirizados, o que vai resultar em menos gastos para a empresa. Ela não terá que pagar salários, 13º, férias, FGTS, INSS patronal, horas extras, adicionais noturnos, indenizações e outras coisas. Além disso, também não terá custos com frota própria (combustível, manutenção, renovação de veículos, investimentos em tecnologia de rastreamento).

No caso dos serviços de armazenagem, a empresa não precisará investir em galpões logísticos e em toda uma infraestrutura necessária para comportar os estoques dos diferentes produtos.

É possível terceirizar somente alguns serviços caso a empresa não deseje transferir todas as operações para uma empresa terceirizada. O importante é analisar quais desses serviços precisam realmente de terceirização para se tornarem mais enxutos, mais eficientes e consequentemente mais baratos — e também para ajudar a satisfazer aos clientes, aumentando as chances de fidelização e fazendo com que as captações sejam processos menos custosos.

7. Invista em uma boa estratégia de entrega

A entrega é uma etapa crucial para a empresa. É preciso planejá-la: traçar rotas eficientes, utilizar as embalagens mais apropriadas conforme o tipo de produtos, definir prazos realistas etc. Uma boa rota deve considerar não somente o caminho mais curto, mas o mais seguro e bem provisionado (hotéis, postos de combustível, oficinas mecânicas).

Mercadorias entregues em tempo hábil e em bom estado são fundamentais para a satisfação do cliente e para promover a boa imagem da empresa.

Gostou deste artigo com dicas de logística? Então compartilhe nas suas redes sociais para que outros gestores possam ter acesso a elas.


Veja Também